História do Piercing

O Body piercing vem sendo praticado por mais de 5000 anos e sempre foi usado como uma expressão pessoal, ritual espiritual, como uma distinção de realeza, e mais recentemente como moda. Tudo começou nas primeiras tribos e clãs das mais antigas raças humanas. Nas tribos da América do sul, África, Indonésia, nas castas religiosas da Índia, pelos faraós do Egito e pelos soldados de Roma. Depois se espalhou pela classe média e aristocracia do século 18 e 19. Mas foi esquecido na Europa no século 20. Em 1970 cresceu novamente nas mãos dos “gurus” da moda de Londres e artistas do “underground”. E em 1990 finalmente atingiu a atenção de todo o planeta fechando os elos entre o primitivo e o moderno. Existe uma longa história sobre o body piercing em rituais de passagens e em significados diversos. Segue abaixo a lista de  significados em alguns locais do corpo  no mundo:

LÓBULO DA ORELHA:

Este é de longe o piercing mais comum na história. Antigamente distinguiam uma pessoa rica de uma pobre. Agora é a forma mais popular de mostrar joias. Marinheiros colocavam piercing acreditando que estes te davam melhor visão. Romanos associavam o piercing na orelha a riqueza e a luxúria. Tribos Sul-Americanas e Africanas faziam piercings e alargavam o furo e quanto maior fosse, maior o status social.

NARIZ:

O nostril (aba do nariz )se originou no oriente médio há 4000 anos, se espalhou para Índia no século 16 quando foi rapidamente adotado pelas castas nobres. Cada tipo de joia distinguia a casta e a posição social. Esse piercing foi introduzido no oeste pela cultura hippie que viajou pela Índia nos anos 60 e 70. E também foi adotado rapidamente pelos “Punks” e outras culturas jovens dos anos 80 e 90 .Continua muito popular nesse novo milênio.

LINGUA:

Nos templos Astecas e Maias, os sacerdotes faziam piercings em   suas línguas como parte de um ritual de comunicação com os deuses. Mil anos depois continua popular, mesmo que por diferentes razões.

LÁBIOS:

A boca e os lábios são partes sensuais do corpo e poderosos como afrodisíacos, então era natural que as castas mais altas dos Astecas e Maias adornassem seus lábios com labutes de puro ouro. Na África, as mulheres da tribo Makolo vestem pratos chamados “Pelele” nos seus lábios superiores para atrair homens de suas tribos. Tribos indígenas da América Central e do Sul, incluindo nossos índios brasileiros, fazem piercings nos lábios inferiores e alargam os furos para colocar pratos de madeira. Hoje em dia o piercing labial mais comum é colocado nos lábios inferiores. Se tornou popular também o piercing no lábio superior imitando uma pinta, no canto dos lábios, chamados de”Madonna”.

MAMILOS:

Piercing nos mamilos era considerado símbolo de força e virilidade. Nativos da América Central faziam piercings nos mamilos como marca de transição da masculinidade. Em 1890 foi uma “coqueluche” de mulheres Vitorianas que faziam piercings em seus mamilos com joias vendidas por famosos joalheiros de Paris. Algumas faziam piercings nos dois mamilos e uniam os dois com uma corrente de prata.

UMBIGO:
As primeiras aparições do piercing no umbigo vêm do Antigo Egito aonde apenas os faraós e as famílias reais eram permitidos a fazer esses piercings. A população normal estava proibida de fazê-lo. Hoje é o piercing mais realizado em todo mundo.
Os faraós egípcios obtinham piercings no umbigo durante uma cerimônia.

Assim como as tatuagens, o body piercing, já foi considerado marginal, mas deixando os pensamentos arcaicos e a marginalização de lado, cada um pode fazer o que bem quiser com o seu corpo. A aceitação tem sido tão grande que a moda abriu espaço as perfurações e mostra o piercing como sensual, exótico e estiloso.

Os comentários estão encerrados.